Semana do Universo | Angra do Heroísmo -A A +A

Entre os dias 27 de agosto e 2 de setembro, será dinamizada a "Semana do Universo" com várias atividades ligadas à Astronomia e à exploração espacial a acontecer em Angra do Heroísmo, Terceira, e em São Miguel. Abertas a todo o público interessado, esta Semana do Universo contará com palestras de especialistas na área, observações do céu noturno e do Sol, e a inauguração de uma exposição sobre Astrofotografia: Astronomia para Além da Ciência.

Inserida num encontro internacional de Cosmologia e Física Fundamental da Observatório Europeu do Sul, que acontece nas mesmas d em Angra do Heroísmo, esta "Semana do Universo" procurará levar à população em geral atividades gratuitas que permitam o acesso aos vários especialistas da área que estarão presentes neste encontro, como palestras, observações astronómicas e exposições sobre a temática.

Poderá seguir esta página para saber das datas das várias atividades, assim como possíveis cancelamentos ou reagendamentos. No final encontrará o resumo das palestras.

Datas das Atividades:

28 de agosto

  • 21h00 | Palestra "The Discovery of waves in space and time", com Joe Liske | Biblioteca Municipal e Arquivo Regional Luís da Silva Ribeiro;
  • 21h00 | Inauguração da Exposição "Astronomia para Além da Ciência" | Biblioteca Municipal e Arquivo Regional Luís da Silva Ribeiro;
  • 22h00 | Observação do Céu Noturno | Biblioteca Municipal e Arquivo Regional Luís da Silva Ribeiro;

29 de agosto

  • 10h00 | Observação Solar na Praia | Prainha de Angra;
  • 15h00 | Observação Solar na Praia | zona Balnear Negrito;
  • 21h00 | Observação do céu noturno | Angra do Heroísmo (Local a definir);

30 de agosto

  • 10h00 | Observação Solar | Praia da Vitória;
  • 15h00 | Observação Solar | zona Balnear Porto-Martins;
  • 21h00 | Palestra "The history of the Telescope", com Paolo Molaro | Biblioteca Municipal e Arquivo Regional Luís da Silva Ribeiro
  • 22h00 | Observação Noturna | Biblioteca Municipal e Arquivo Regional Luís da Silva Ribeiro;

31 de agosto

  • 10h00 | Observação Solar | Zona Balnear Salga;
  • 15h00 | Observação Solar | Prainha de Angra;

1 de setembro

  • 21h00 | Observação Noturna | Observatório Astronómico de Santana - Açores (São Miguel);
  • 21h00 | Palestra "Seeing the invisible - the discovery of dark energy", com Bruno Leibundgut | Observatório Astronómico de Santana - Açores (São Miguel)
  • 21h00 | Palestra "A Física do Big Bang", com Carlos Martins | Biblioteca Municipal e Arquivo Regional Luís da Silva Ribeiro

Carregue na imagem para aumentar

Esta Semana do Universo é uma organização conjunta do OASA com a Universidade dos Açores, o Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (Iastro), o Observatório Europeu do Sul (ESO) e a Biblioteca Municipal e Arquivo Regional Luís da Silva Ribeiro, e resulta da presença da 3rd Azores School on Observational Cosmology e da 5th Azores International Advanced School in Space Sciences nos Açores para debater a utilização dos futuros e atuais instrumentos da ESO para o estudo da Cosmologia e da Física Fundamental.

Saiba mais sobre este encontro em: http://www.iastro.pt/research/conferences/azores17/index.html

Resumo das Palestras

Joe Liske | the discovery of waves in space and timeHá apenas 100 anos atrás, Albert Eistein publicou a sua Teoria da Relatividade Geral que é, ainda hoje, a nossa melhor compreensão da gravidade. A verdadeira revolução passou por substituir a nossa visão de um espaço e de um tempo estáticos pelo conceito de um espaço-tempo dinâmico e moldável. Esta nova forma de compreender a gravidade incluía ainda a espetacular previsão que o espaço-tempo poderia oscilar e suportar a propagação de ondas - à semelhança de um oceano. Em fevereiro de 2016, os cientistas da experiência LIGO anunciaram que tinham capturado um ténue eco de dois buracos negros que se fundiam, detetando finalmente as "fantasmagóricas" ondas gravitacionais. Como foi possível alcançar tal descoberta? O que encontraram realmente?

Joe Liske é professor de Astronomia Observacional na Universidade de Hamburgo, Alemanha. Após obter o seu doutoramento em Sydney, Austrália, foi investigador na Universidade de St. Andrews e Edinburgh na Escócia antes de dedicar vários anos de trabalho no maior telescópio do mundo no Observatório Europeu do Sul. De momento dedica-se ao estudo da formação de galáxias semelhantes à nossa - Via Láctea.

Paolo Molaro | the history of the telescopeQuem inventou o telescópio? Após 4 séculos de existência, ainda não conhecemos com exatidão a génese do "instrumento para ver ao longe", cujo aparecimento se deu em 1608 na região dos Países-Baixos e que foi depois desenvolvido por Galileo para fazer descobertas que mudariam para sempre a humanidade. Hoje, é o modelo refletor de Newton, inventado por volta de 1668, mantem-se como a base para os maiores telescópios que hoje são construídos. Nesta palestra iremos seguir a cronologia do telescópio ao longo da história: iniciando nos mais simples instrumentos primitivos até às sofisticadas máquinas indispensáveis à compreensão contemporânea do Universo.

Paolo Molaro é professor de Astronomia no Observatório Astronómico de Triste (INAF), onde iniciou a sua carreia em 1987 e onde foi diretor de 2001 a 2003. Após diplomar-se com Margherita Hack em 1981, Paolo Molaro doutorou-se em SISSA com o Professor Denis Sciama em 1987. É ainda Cientista de Instrumentos no inovador espectrógrafo ESPRESSO, que será ligado em 2018 no VLT da ESO.

Carlos Martins | A Física do Big BangNos últimos 20 anos aprendemos mais sobre a origem e a evolução do Universo do que em todo o resto da história da humanidade. Esta palestra descreverá o estado atual da Cosmologia e os seus grandes desafios futuros. Observações recentes sugerem que 96% do conteúdo do Universo se encontrar em formas (conhecidas como matéria escura e energia escura) que não emitem luz nem foram ainda detetadas experimentalmente em laboratório, sendo apenas conhecidas pelos seus efeitos gravitacionais. Uma nova geração de telescópios e satélites tentará, na próxima década, caracterizar este lado escuro do Universo.

Carlos Martins licenciou-se em Física/Matemática Aplicada (Universidade do Porto) em 1993, e doutorou-se em Física Teórica na Universidade de Cambridge em 1997. Trabalha na fronteira entre a astrofísica, a cosmologia e a física de partículas, nomeadamente em testes observacionais de teorias do Universo primordial. Desde 2012 é membro da equipa científica que acompanha a construção do Extremely Large Telescope e coordenador da Unidade de Formação do CAUP.

 

Joe Liske | the discovery of waves in space and timeO que existe no Universo? Será que já observamos tudo, ou existem componentes deste ainda por descobrir? Estas questões são a base de todas as cosmologias e têm sido feitas desde sempre. Hoje, temos finalmente conhecimentos que podem suportar respostas a estas antigas questões. A descoberta da Energia Negra - laureada com o prémio Nobel da Física em 2011 - é um exemplo de como os modernos métodos astrofísicos são aplicados na descoberta dos principais componentes do Universo. Nesta apresentação iremos mostrar as observações feitas, assim como a interpretação feita que nos levou à deteção daquilo que compõe 75% do Universo.

Astrónomo observacional, Bruno Leibundgut participou em uma das duas equipas que descobriram a expansão acelerada do Universo, que foi honrada com o prémio Gruber Cosmology em 2007, e com o prémio Nobel da Física em 2011. Após estudar na Universidade de Basel, Suíça, desenvolveu vários pós-doutoramentos no Observatório Europeu do Sul (ESO) como Astrónomo. No ESO ocupou ainda várias posições relacionadas com o desenvolvimento de operações do Very Large Telescope (VLT) e como diretor científico da organização.